Páginas

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Governadora muda cronograma de inaugurações

Hospital de Magalhães de Almeida será inaugurado dia 06 de setembro


A inauguração do hospital de Magalhães de Almeida prevista para o dia 15 de setembro foi antecipada para o dia 06, às 9h da manhã. Confira a nova programação das visitas da governadora.


AGENDA DE INAUGURAÇÕES


Dia 30/08 - Hospital de Paulino Neves

Dia 30/08 - Rodovia Tutóia - Paulino Neves

Dia  30/08 - Ordem de Serviço acesso Santana

Dia  30/08 - Ordem de Serviço acesso Água Doce

Dia 01/09 - Centro Cirúrgico do Hospital Infantil Juvêncio Mattos

Dia 01/09 - Serviço de Cirurgia de Alta Complexidade do Hospital Tarquínio Lopes Filho (Hospital Geral)   

Dia 01/09 - UPA do Vinhais  

Dia 02/09 - UPA Cidade Operária   

Dia 02/09 - Etapa do novo hospital de Alta Complexidade Carlos Macieira (13 novos leitos de UTI 25 e novos leitos de UCI 44 leitos) Entra em operação

Dia 06/09 - Hospital de Magalhães de Almeida 

Dia 12/09 - Farmácia Estadual de Medicamentos Especializados (Feme)

Dia 13/09 - Centro de Diabetes e Hipertensão  

Dia 14/09 - UPA de Coroatá  

Dia 15/09 - Hospital de Morros

CPT denuncia novos casos de violência no campo


Foto: G. Ferreira - Quilombolas, índios e sem-terra ocupam Incra
 Por Jully Camilo
O padre Inaldo Serejo, coordenador estadual da Comissão da Pastoral da Terra, seção Maranhão (CPT-MA), denunciou ontem que no último final de semana ocorreram, no estado, três episódios de violência envolvendo quilombolas, índios e lavradores sem-terra integrantes dos movimentos quilombolas, indígena e dos trabalhadores sem terra.

Serejo relatou que no sábado (27), o quilombola conhecido como “Zé da Cruz”, residente na comunidade Salgado, município de Pirapemas, teve sua casa atingida por vários tiros. “Ele já vinha sendo ameaçado por um latifundiário da região que afirmava ser o proprietário da terra. Em decorrência disso, o capataz do mesmo teria dito que começaria a matança ‘pelo dono dos porcos’. Na tarde de sábado, vários desses animais foram mortos a tiros, com a finalidade de intimidar o lavrador e sua família. A área em questão mede 1.089 hectares e é habitada desde o século XIX pelos quilombolas, que hoje disputam as terras com o latifundiário Moisés Sotero dos Reis”, disse o padre Inaldo.

Índios – De acordo com o religioso, os índios Awá Guajá, que vivem na região de Bom Jardim, também estão sendo ameaçados de morte por madeireiros da região, que teriam sido presos durante uma operação realizada por Ibama, Funai e polícias Federal e Rodoviária Federal. O coordenador da CPT afirmou que, como retaliação, os madeireiros teriam contratados pistoleiros para matar lideranças indígenas.

Sem-terras – “Os problemas não param por aí. No acampamento Salete, município de Ribamar Fiquene [sudoeste do Maranhão], aproximadamente 38 famílias do MST, que já residem no local há mais de três anos, também estão sendo ameaçadas de morte por pistoleiros, e de despejo pela Polícia Militar. A PM esteve no local sem apresentar qualquer documento judicial, informando apenas que as famílias deveriam deixar o local em até 15 dias, sob pena de serem presas”, revelou Serejo.

Acampados – Quilombolas, lideranças indígenas e integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), acampados no auditório do Instituto Nacional de Reforma Agrária (Incra), se reunirão hoje (30) pela manhã com o superintendente do órgão no Maranhão, José Inácio Rodrigues Sodré. A reunião vai tratar dos itens descritos na pauta de reivindicações nacional, que deverá ser discutida amanhã (31) com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence.

Os integrantes dos movimentos sociais continuam chegando à sede do órgão a todo momento. Na manhã de hoje (30), acontecerá uma coletiva de imprensa com as vítimas dos incidentes ocorridos no último final de semana no interior do estado. Os manifestantes afirmam não haver data para deixarem o Incra e exigem o cumprimento do acordo firmado com os governos federal e estadual, no dia 22 de junho, que trata, entre outros assuntos, da agilidade nos processos de regularização de terras e do combate à violência no campo.

Fonte: www.jornalpequeno.com.br

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Hospital de Magalhães de Almeida está na lista de inaugurações da governadora


Foto: Handson Chagas
Desta sexta-feira (26) até o dia 15 de setembro, a governadora Roseana Sarney tem agendada uma série de inaugurações nas áreas de saúde e de infraestrutura, na capital e interior, dando prosseguimento às realizações do governo em todo o estado. São hospitais em Morros, Coroatá, Magalhães de Almeida e São Luís, e entrega de rodovia e assinatura de ordens de serviços de construção de estradas nos municípios de Paulino Neves, Santana do Maranhão e Água Doce do Maranhão.

“Conforme anunciamos, faremos a entrega de hospitais, de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), centros cirúrgicos e Farmácia de Medicamentos Especiais (Feme), como parte das ações do Programa Saúde é Vida. Também iremos entregar rodovia e assinar ordens de serviços, que integram o Plano Rodoviário, garantindo mais tranqüilidade e qualidade de vida aos maranhenses”, elencou a governadora.

A agenda de trabalho a governadora terá início nesta sexta-feira (26), no município de Paulino Neves, onde acompanhada do secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, Roseana Sarney inaugura um hospital de 20 leitos, unidade dotada de modernos equipamentos que prestará serviços de saúde de qualidade à população.

No mesmo dia, também acompanhada do secretário de Estado de Infraestrutura, Max Barros, a governadora inaugura a rodovia Tutóia-Paulino Neves e assina ordens de serviço para construção de acessos aos municípios de Santana do Maranhão e Água Doce do Maranhão.
A agenda será retomada na segunda-feira (29), em São Luís, com a inauguração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque Vitória. Até o dia 13 de setembro serão entregues, na capital, as UPAs do Vinhais e Cidade Operária; a Farmácia de Medicamentos Especiais (Feme), na Praia Grande; o Centro Cirúrgico do Hospital Infantil Juvêncio Matos; o Centro Cirúrgico de Alta Complexidade do Hospital Tarquínio Lopes Filho (o Geral) e o Centro Especializado em Hipertensão e Diabetes, na avenida Kennedy.

No roteiro do dia 6, a governadora também irá a Morros para entregar o hospital de 20 leitos. A agenda de inaugurações no interior será encerrada com a entrega da UPA de Coroatá, dia 14 de setembro, e do hospital de Magalhães de Almeida (20 leitos), no dia 15.

Agenda de inaugurações

26/08 - Hospital Paulino Neves

26/08 - Rodovia Tutóia - Paulino Neves

26/08 - Ordem de Serviço acesso Santana

26/08 - Ordem de Serviço acesso Água Doce

29/08 - UPA Parque Vitória

01/09 - UPA do Vinhais

02/09 - UPA Cidade Operária

05/09 - Farmácia de Medicamentos Especiais (Feme)

06/09 - Hospital de Morros

06/09 - Centro Cirúrgico Infantil do Juvêncio Matos

06/09 - Centro Cirúrgico de Alta Complexidade do Geral

13/09 - Centro Especializado em Hipertensão e Diabetes

14/09 - UPA Coroatá

15/09 - Hospital de Magalhães de Almeida

Fonte:Secretaria de Comunicação do Estado
Opinião

Agora resta saber se o hospital terá condições de atender a população conforme o propósito com que foi construído. Pelo que sabemos o prefeito já disse se negar receber o hospital sem que tenha garantia de recursos para mantê-lo. Em breve, teremos mais informações.

Energia ficará mais cara a partir de domingo



Os consumidores de energia elétrica no Maranhão, a partir do próximo domingo (28), pagarão, em média, valores 7,25% maiores. É que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, nesta terça-feira (23), o reajuste tarifário da Companhia Energética do Maranhão (Cemar).

De acordo com a Cemar, 1,7 milhão de unidades consumidoras nos 217 municípios do Estado sofrerão o reajuste. De acordo com a classe de consumo, os consumidores da baixa tensão (menor que 2,3 kV) terão reajuste de 7,53%; e os de alta tensão (de 2,3 kV a 230 kV) terão 6,05% de reajuste.

Segundo a Cemar, a Aneel calcula os índices de reajuste de acordo com a variação de custos que a empresa teve no decorrer do período de referência, como distribuição, energia comprada de geradoras, encargos de transmissão e encargos setoriais. Os índices aprovados são o máximo que as empresas podem praticar.

Mais informações podem ser encontradas no site da Aneel
 
Fonte: Imirante.com
 
Opinião
Se já não bastasse as tarifas altíssimas que os consumidores pagam pela energia, ainda vem um aumento como esse. O negócio é economizar para evitar surpresas desagradáveis na fatura.